GIGOLÔS DA MISÉRIA E OS FALSOS CONDOMÍNIOS

GIGOLÔS DA MISÉRIA X ASSOCIAÇÃO DE

MORADORES  

FALSOS CONDOMINIOS 

 

Nota do Editor: Esta matéria traça um paralelo e demonstra a similaridade existente, entre os golpes de apropriação dos espaços públicos, invasão da propriedade alheia com as "associações de moradores" que vendem e cobram por segurança.

 

 

Dia 1º de maio, denominado o dia do “trabalhador” o País presenciou atônito, mais um episódio do descaso e da conivência do poder público para com bandidos. Isto por que prevaricando de suas funções, beneficiam o crime organizado, assim como fazem distribuindo autorizações para criação de bolsões em bairros urbanos, para favorecer as associações de moradores e assim, tão somente arrecadar o IPTU sem nada prestar.

 O incêndio do Edifício Wilton Paes de Almeida deveria ser investigado pelo MP Federal, pois os responsáveis pela tragédia 

deveriam ser processados e punidos exemplarmente por crimes que vão desde (homicídio doloso, apropriação indébita, incentivo ao crime, formação de quadrilha, estelionato, enriquecimento ilícito, fraude, crimes contra economia popular e outros).

O mesmo deveria acontecer igualmente com alguns presidentes e diretores de associação de moradores “falsos condomínios”, competindo inclusive, uma investigação ampla da policia federal quanto à conivência de autoridades neste esquema das associações venderem segurança aos incautos moradores de bairros urbanos.

O Edifício Wilton Paes de Almeida, segundo consta pegou fogo por causa de "gatos" na eletricidade, vez que o prédio foi (tomado por milicias) para ser ofertado e servir de moradia aos desafortunados, porém, de forma criminosa. Isto por que estes oportunistas denominados de "lideres", se apropriam de prédios e espaços públicos para depois invadirem e alugar para pessoas pobres, cobrando taxas e contribuições de quem não tem onde morar em franca exploração da miséria. Este esquema demonstrou o quanto é perigoso o Estado anuir e permitir que “grupelhos” se organizem para administrar a vida do cidadão.

Quem são os responsáveis pela morte de pessoas? Quem são os responsáveis pelos milhões em prejuízos à cidade? Quem será responsabilizado pelo caos ao comercio e aos moradores do entorno que estão sem poder entrar em suas casas e tudo em razão de mais este golpe social, que se perpetua no Brasil-

Claro que são as autoridades públicas (Legislativo, Executivo e Judiciário) que omissos sabem o que se passa e até mesmo colaboram incentivando estes movimentos criminosos, apoiando o "submundo da indigência" e da degradação do ser humano, colaborando com a promiscuidade e a permissividade destas organizações criminosas que são denominadas de movimentos para a moradia, assim como os falsos condomínios um grande estelionato social e nacional.

Assemelhando-se à algumas “associações de moradores” que se apoderam dos espaços públicos, fechando áreas públicas e bairros inteiros, este gigolôs da miséria, travestidos de entidades sociais, contratam seguranças e milícias, fingem prestar serviços para tornar os moradores reféns de seus interesses, tudo é feito para cobrar taxas e enriquecer ilicitamente, no caso do edifício que foi ocupado por líderes de movimentos exploradores da miséria, este esquema veio ao conhecimento publico, graças a desgraça havida e ao sensacionalismo da imprensa.

Este golpe de invadir - se apropriar do patrimônio publico e promover a cobrança de taxas, na verdade é equivalente ao golpe promovido por algumas “associações de bairro” que sob a justificativa de prestarem benfeitorias, e venderem segurança,  ameaçam os moradores de processo judicial caso se recusem a pagar as taxas.

Estas associações se apropriando dos espaços públicos tal qual estes movimentos promovendo as invasões de prédios se equivalem, porém, este golpe das invasões por moradia está num degrau abaixo do golpe dos “falsos condomínios”.

Existe uma certa similaridade entre eles, quanto ao fato de que as “associações de moradores” se apoderam dos espaços públicos, fechando bairros e loteamentos urbanos, impondo a cobrança de taxas indiscriminadamente à todos os moradores  seu “registro é feito em cartório de notas” para dar ares de legalidade ao golpe, são pessoas jurídicas criadas sob a finalidade de promover ações filantrópicas, assim registradas para escapar da tributação e fugir das responsabilidades por alegar prestar serviços.

 

Já os Gigolôs da miséria se diferenciam dos falsos condomínios, apenas por um detalhe; O “modus operandis”:

Estes líderes de movimentos clandestinos, exploradores da indigência, são verdadeiros oportunistas. Isto por que “tomam” prédios abandonados ou em disputa judicial, cobram taxas de pessoas que não tem onde morar, bem como fomentam "bunkers" para abrigar viciados, esconderijos para ladrões que roubam e derretem fios de cobre, exploradores, prostituição, laboratórios de drogas, e é claro incautos desafortunados que realmente são pobres e não possuem um teto.

Como nos “falsos condomínios”, estes líderes de invasões, promovem furtos de energia elétrica, furto de água e em alguns casos resultando em desgraças como ocorreu neste episodio do incêndio graças aos “líderes de movimentos” que ali estão para enriquecer à custa da miséria.

Estes movimentos que ocupam prédios públicos ou particulares, contratam milícias e profissionais em invasões, convocam moradores de rua, viciados e pessoas sem condições de moradia ofertando habitação nestes espaços e depois sob alegação que prestam serviços de manutenção dos prédios e segurança, promovem cobranças de taxas de milhares de barracos amealhando fortunas.

Porém, se o morador não paga é colocado para fora do local com emprego de ameaças, chantagem e truculência por pessoas contratadas chamadas “seguranças”. Segundo informações da prefeitura que sabe da existência destes crimes, existem hoje 130 prédios ocupados irregularmente em SP.

Assim como as (meras associações de moradores) o dinheiro arrecadado não volta para os moradores, quando muito empregam o fruto da pilhagem para fazer “gatos de energia” e “água” aquisição de tábuas para fechar mais espaços e aumentar o faturamento segundo informações de vitimas.

As autoridades, cientes mas omissas, tudo presenciam e até mesmo apoiam alguns destes episódios como; - autorizar precariamente o fechamento de bairros urbanos, autorizar o particular a tomar conta do patrimônio publico, permitir o fechamento de ruas e espaços públicos, autorizar as associações a distribuir água e administrar a vida e a propriedade alheia, ou seja, o Poder público é omisso permissivo e prevaricante e devido à essa conduta negligente, está causando o “caos social” . Responsável pela disseminação de criminosos, bem como por muitas mortes que ainda ocorrerão em face de sua negligência e omissão.

De qualquer forma se você que é vitima destes "falsos condomínios" e encontrou alguma semelhança entre os golpes pode ser que seja apenas mera coincidência. Mesmo assim divulgue à todos os seus contatos vamos lutar por País melhor;

(NÃO ESQUEÇA NÃO COMPRE LOTES, IMÓVEIS, CHÁCARAS, TERRENOS, NÃO ASSINE NADA SEM CONSULTAR UM ADVOGADO, VOCÊ PODERÁ SER MAIS UMA VÍTIMA DESTAS ASSOCIAÇÕES TRAVESTIDAS DE CONDOMÍNIO)

Defesa Popular: - Em Luta contra os falsos condomínios

 www.defesapopular.blogspot.com

 

www.defesapopular-rj.blogspot.com

 

www.defesapopular-ba.blogspot.com

 

www.defesapopular-br.blogspot.com

 

Contato Nacional 11.5506.6049